Início » Exclusivamente dois nomes têm indicação de compra pelo BBA; veja quais – Investe Alcance

Exclusivamente dois nomes têm indicação de compra pelo BBA; veja quais – Investe Alcance

por João P. Silva
banco-do-brasil-6

Itaú BBA atualiza indicações para Santander, Banrisul, BTG Pactual e Banco do Brasil (Imagem: REUTERS/Kacper Pempel)

Ó Itaú BBA revisou suas preferências e promoveu quatro alterações de avaliação no setor de bancos. Santander (SANB11) sim Banrisul (BRSR6) foram superiores para superar (desempenho esperado supra da média do mercado, equivalente a “compra”), enquanto BTG Pactual (BPAC11) sim Banco do Brasil (BBAS3) foram rebaixados para desempenho do mercado (equivalente a neutro).

Os analistas da vivenda apontam que a elevação do Santander reflete o otimismo contínuo com o negócio de crédito ao consumidor e avanços internos significados que refletem o incremento dos lucros.

Uma atualização substituiu o BTG no setor de mercado de capitais, rebaixado para desempenho do mercado tendo em vista as dificuldades macroeconômicas e de crédito corporativo que afetam tendências e múltiplos.

  • LEIA MAIS: Com o Ibovespa em “apuros”, há ações de muita qualidade em preços extremamente atrativos com recomendação de compra; veja quais no Money Picks

Posteriormente os resultados mais fracos do Banco do Brasil, o BBA rebaixou uma indicação para neutro, atualizada pelo Banrisul, que oferece valorização ainda mais baixa e um impulso de lucros mais possante em 2025, na valorização dos analistas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Santander

Ó Santander é o nome preposto do BBA entre os grandes bancos do Brasil, com um novo valor justo de final de ano de 2024 de R$ 33 por ação.

Os analistas apontam que o banco vem limpando suas linhas de crédito desde 2022 em termos de provisões e clientela, ficando mais prestes para apressar esse ciclo.

Junto com isso, há uma novidade abordagem de ingresso no mercado e de atendimento ao cliente e o primeiro trimestre já prestiente ganhos de participação de mercado em áreas-chave uma vez que cartões de crédito, folha de pagamento, veículos e PME.

“Dentro da carteira financeira mais ampla, reforçamos a nossa preferência pelos bancos em detrimento de outros subsetores, uma vez que os mercados de capitais”.

BTG Pactual

O BBA avalia que a curva de taxas de juros mais elevadas e os não certificados que emparelham sobre o Brasil devem ter impacto mais direto no mercado de capitais e atítiva de investimentos.

Eles destacam que os spreads das empresas diminuíram significativamente, enquanto um envolvente de taxas mais proeminente é geralmente negativo para a inadimplência. Ainda assim, vale ressaltar que o BTG possui cobertura de provisão mínima para crédito corporativo e tem muro de R$ 500 milhões de exposição líquida em Americanas, o que pode tarar nos resultados.

“Continuamos gostando do nome no longo prazo, com participação de mercado e alavancas de eficiência de SG&A para intervenções o incremento do lucro por ação de 10-15% em relação ao ano anterior nos próximos anos”.

Neste cenário, o BBA impede o preço-alvo de 2024 para R$ 35/ação, com classificação neutra.

Banco do Brasil

Os analistas ainda veem potencial de longo prazo no Banco do Brasil, mas acreditam que o banco experimentará uma desaceleração significativa no impulso de lucros até 2025, com um incremento modesto de 4% no lucro por ação.

“A taxa Selic mais elevada impedirá o aumento dos spreads de crédito (contrariamente às nossas expectativas anteriores), enquanto a margem financeira do mercado enfrentará comparações difíceis. As questões de inadimplência no BB persistem por mais tempo do que em seus pares, provavelmente devido à crescente carteira renegociada, e espera-se que as provisões para o treino de 2024 excedam a orientação”.

O BBA destaca a crescente sensibilidade dos investidores aos riscos políticos, o que pode dificultar a expansão múltipla do banco. Neste cenário, revisamos o preço-alvo de 024 para R$ 31/ação, com classificação neutra para o BB.

Barinsul

A exposição empresarial de aproximação de 85% ao estado do Rio Grande do Sul fez com que a ação caiu para 0,4x P/B’24E, no entanto, o BBA acredita que tanto as preocupações do lado do ativo quanto do passivo são exageradas.

O BBA pondera que a carteira de crédito é principalmente consignada ou agro, que não é movimentada. Ou por outra, a atividade regressou rapidamente na região e é provável que diversas medidas de refrigério do crédito diluam, ou compensem, o potencial risco de crédito nas empresas.

“Os próximos resultados dellevias as preocupações e desmarcar uma reclassificação, pelo menos de volta para 0,6x P/B’24, em risca com os seus níveis de ROE de 10-12%. Esta é uma chamada de valor tático”.

Com isso, a vivenda elevou o valor justo para o ano de 2024 para R$ 17/ação com classificação superar.



Fonte

Related Posts

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saiba Mais

Política de Privacidade e Cookies