Início » Membro do Fed defende regularizar juros a partir do 3º tri, mas não descarta antecipar projeção

Membro do Fed defende regularizar juros a partir do 3º tri, mas não descarta antecipar projeção

por João P. Silva
Membro do Fed defende normalizar juros a partir do 3º tri, mas não descarta adiantar projeção

O presidente do Federalista Reserve (Fed, o banco meão norte-americano) de Atlanta, Raphael Bostic, afirmou nesta quinta-feira, 18, que adiantou sua projeção para normalização nos juros do BC dos Estados Unidos do quarto trimestre para o terceiro trimestre deste ano. “Dito isso, se continuarmos a ver uma aglomeração de surpresas para insignificante nos dados da inflação, posso permanecer confortável em proteger uma normalização mais cedo do que no terceiro trimestre”, afirmou ele, em exposição pronto para evento.

Bostic argumentou que o repto do Comitê Federalista de Mercado Lhano (FOMC, na {sigla} em inglês) “será ordenar por quanto tempo manter os juros no atual nível restritivo”, enquanto os dirigentes quantificam os efeitos atrasados da política monetária sobre a economia.

“Se mantivermos juros por muito tempo, arriscaremos prejudicar o mercado de trabalho e a macroeconomia”, ponderou o dirigente, acrescentando que indicadores de serviço serão essenciais.

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente individual do InfoMoney

Na visão dele, o desenvolvimento do serviço e dos salários ainda segue aquém dos níveis pré-pandemia e uma recuperação seria “saudável” para depreender a meta de inflação, sem tarar desnecessariamente sobre a economia. Ainda, Bostic considera que deve ser contabilizado o “aperto passivo”, resultado da diferença entre o nível dos juros e da inflação conforme os preços reduzem.

Entretanto, ele alerta que sua posição pode mudar, dependendo dos dados, e considerando que a inflação ainda está muito supra da meta de 2%. O dirigente destaca que diversas incertezas rondam a economia, porquê conflitos geopolíticos, incertezas sobre trajetória das cadeias de oferta e demanda, eleições presidenciais e o próprio desempenho da economia – que pode ser mais possante do que o esperado e pressionar a inflação.

“Se estes fatores impulsionarem a inflação, teremos que manter aperto monetário por mais tempo. Também devemos evitar cortes de juros prematuros, que podem reacender demanda e pressionar preços”, concluiu Bostic, que vota nas decisões do Comitê Federalista de Mercado Lhano (FOMC, na {sigla} em inglês) em 2024. “No momento, juros estão no nível oportuno para reduzir a inflação no médio prazo.”



Fonte

Related Posts

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saiba Mais

Política de Privacidade e Cookies