Início » PF deflagra operação contra criminosos que invadiram aplicativo e-Título, do TSE

PF deflagra operação contra criminosos que invadiram aplicativo e-Título, do TSE

por João P. Silva
PF deflagra operação contra criminosos que invadiram aplicativo e-Título, do TSE

A Polícia Federalista (PF) deflagrou, nesta terça-feira (25), uma operação para prodigalizar um grupo criminoso que invadiu o aplicativo e-Título, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e alterou informações dos cadastros dos elitores.

Segundo a investigação, os criminosos foram utilizados o sistema do TSE, ilicitamente, para fins de matrícula eleitoral em nome de pessoas públicas.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião de especialistas, têm potencial de incremento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

Segundo a PF, foram detectados 158 registros irregulares, por meio do e-Título, que vão desde uma missão do título de sufragista até inscrições falsas uma vez que mesário voluntário.

Até o momento, não foi identificada qualquer invasão ao sistema de votação.

Nesta terceira operação, batizada de Sufragista Protegido, os agentes da PF cumpriram 6 mandatos de procura e inquietação em São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), São Miguel do Gostoso (RN) e Maracanaú (CE).

Continua depois da publicidade

Os investigados deverão responder pelo transgressão de invasão de dispositivo informático, de convénio com a PF.

“A investigação continuará para esclarecer qual foi a motivação da investigação da invasão aos sistemas do TSE”, informou a corporação, via nota.

Segundo informações do blog da jornalista Camila Bomfim, no G1, as fraudes no e-Título teriam sido perpetradas em 2022 e 2023, quando a biometria ainda não estava disponível para todos os candidatos. As irregularidades foram registradas em títulos que não possuíam essa categoria suplementar de proteção.

Continua depois da publicidade

O e-Título é um aplicativo mobile para obtenção de título do dedo. Ele permite o aproximação às informações dos eleitores cadastrados na Justiça Eleitoral e apresenta dados uma vez que zona eleitoral, situação cadastral, diploma de quitação eleitoral e diploma de crimes eleitorais, entre outros.



Fonte

Related Posts

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Saiba Mais

Política de Privacidade e Cookies